09

maio

2019
por que separar as contas pessoais das contas da empresa?

Contas da empresa e contas pessoais: como e por que separar?

Em meio a uma rotina atribulada entre afazeres pessoais e profissionais, a organização se torna palavra-chave para uma gestão equilibrada do negócio. No entanto, a prática é bem diferente, especialmente quando o assunto passa pela movimentação financeira. Isso porque é comum encontramos empreendedoras que consideram mais simples e prático juntar contas da empresa e contas pessoais em um lugar só.

O que vemos então? Um cenário caracterizado pela falta de controle financeiro e desconhecimento sobre os números reais da empresa: qual é o lucro, despesas fixas e variáveis, custo dos produtos, contas a pagar e a receber, entre outros. Sabendo disso, neste post, vamos ajudá-la nessa missão, mostrando como e por que separar as contas pessoais das contas da empresa.

Acredite, empreendedor ou empreendedora: no início pode parecer um processo burocrático, mas a verdade é que essa organização das finanças pode colaborar até na tomada de decisões mais embasadas. Vamos ao que interessa!

Por que separar as contas da empresa?

Saber se seu negócio é rentável

Embora a sensação de ter todas as contas pagas no final do mês seja suficientemente boa para seguir o negócio, não é o bastante para definir se sua empresa é economicamente sustentável. O primeiro passo para revelar o cenário financeiro é separar as contas pessoais das contas empresariais.

Somente assim, você irá saber quanto você gasta por mês com as despesas próprias e quanto custa a operação do seu negócio, incluindo despesas fixas, variáveis, folha de pagamento e custos de produção, por exemplo. São duas coisas muito diferentes, ok?

Tomar decisões embasadas

Os números são fatos. E, a partir de fatos, não há dúvidas. Com separação e controle das finanças, saberá então se seu pro labore (pagamento definido para remunerar os donos/sócios de uma empresa) está coerente com o cenário financeiro do negócio, onde estão os maiores custos e despesas, quais aspectos podem ser melhorados e quantos reais podem ser reinvestidos no próprio negócio.

Mas como separar as contas da empresa?

Agora que você já tem uma noção da importância de ter o controle financeiro do seu negócio, vamos mostrar o passo a passo para separar as finanças pessoais da profissional.

1º Construa duas tabelas: gastos pessoas x gastos empresariais

Com isso, não estamos dizendo para você mudar drasticamente seus hábitos. Nesta etapa, encorajamos a olhar para aquilo que já acontece na sua rotina e registrar. Primeiro, faça uma tabela simples, indicando os gastos pessoais em um lado e do outro aqueles que são referentes ao dia a dia empresarial. Anote tudo, especialmente aquelas pequenas retiradas para a compra de itens pessoais ao longo do mês.

2º Faça a conciliação financeira

Depois de ter em mãos esse mapa financeiro completo, é hora de organizar as finanças. Todas as retiradas (todas!) devem ser configuradas como pro labore, cujo significado já explicamos acima. Dessa maneira, saberá quanto dos rendimentos empresariais são destinados à conta pessoal. E aqui vale a reflexão: esse valor é saudável para o bom funcionamento da empresa?

3º Defina seu pro labore

Essa etapa deve ser feita após uma análise criteriosa dos números surgidos com as ações indicadas acima. O pro labore deve ser justo e adequado à realidade da empresa e, em caso de sócios, também levar em conta as atividades desempenhadas por cada um.

Outra dica é pesquisar o valor de mercado pago a profissionais que trabalham na área pela qual você é responsável na empresa. Essa retirada é um salário que o próprio empreendedor destina para si. Lembre-se: o dinheiro do negócio é da empresa como um todo, e não todo seu. Desde já, é importante fazer essa separação mental para uma boa gestão financeira.

4º Abra contas bancárias distintas

Embora não seja obrigação legal, ter uma conta da empresa separada da pessoal é um bom caminho para controle financeiro: é possível acompanhar com mais facilidade os lançamentos e pagamentos. Além disso, para efeitos econômicos e fiscais, colabora na hora de comprovar o faturamento anual, o que pode facilitar o acesso a financiamentos e empréstimos, e a declaração de imposto de renda.

5º Peça ajuda

Se você não se sente apto ou disposto a organizar a gestão financeira da sua empresa, busque ajuda com pessoas que entendem do assunto. Hoje em dia, há diversos softwares que facilitam esse controle, como as planilhas do Excel e as planilhas Google. E, claro, avalie também a possibilidade de contratar um funcionário de confiança para cuidar desses aspectos financeiros. 

Já deu para notar que separar as contas pessoais das contas da empresa é condição essencial para um bom gerenciamento do negócio, não é mesmo? Conhecer seu lucro real e os resultados dos seus investimentos te darão informações valiosíssimas sobre como projetar o futuro da sua empresa — que vai muito além daquela sensação intangível que o negócio vai bem somente porque todas as contas estão pagas. 

Agora queremos saber, empreendedor: como você faz a gestão das suas movimentações financeiras? Deixe um comentário neste post!

Você também pode gostar de:
Mais que depilação, temos diversas soluções para o cuidado do pelo. Serviços diferenciados, em um mesmo lugar, para atender todas as necessidades dos nossos clientes.
"Nossa missão é transformar vidas promovendo o bem-estar e autoestima das pessoas, respeitando a individualidade e a liberdade de ser o que quiser.

Somos referência nacional em depilação e pioneiros no segmento. Com mais de 20 anos de mercado, uma técnica exclusiva e atendimento diferenciado, carregamos a mesma essência em todas as mais de 100 lojas no Brasil e Venezuela. Nossa única preocupação na Depyl Action é proporcionar aos nossos clientes a melhor experiência em cuidados com o pelo.

Este é o nosso compromisso com você."


Danyelle Van Straten,
Diretora da Depyl Action